sanemix 24 horas 7 dias por semana br

Sanitização e Desinfecção contra Coronavirus, Virus, bacterias, fungos

Tratamento e proteção de superfícies e ambientes combatendo a transmissão do coronavirus 

Atendemos – Escritórios, Industrias, Governos, Comércios, Aviação, Hotelaria, Setor da Saúde,  Residencias entre outros setores. – Opções avulso e contratos

  • A transmissão do novo coronavírus pode acontecer de formas diferentes, como por vias respiratórias, por contato físico ou por meio de superfícies contaminadas.

  • A contaminação também pode ser por superfícies não limpas e ambientes contaminados

  • Por isso, é importante realizar a desinfecção eliminando todas bactérias possiveis de transmissão

Fornecemos desinfecção de ambientes contra

DESINFECÇÃO QUÍMICA

método de desinfecção químico é ainda mais complexo e exige grande atenção da equipe responsável pela aplicação. Isso se deve aos perigos toxicológicos dos produtos químicos que, se mal administrados, além de não completar sua função, podem prejudicar a saúde das pessoas que estão no local.

Outros fatores como a dureza da água utilizada para diluição, o PH da solução e presença de outros químicos também influenciam na escolha do produto. O importante é ter produtos de fabricantes confiáveis. Observe se os rótulos têm as informações necessárias para que a escolha e o uso do germicida sejam apropriados à de desinfecção.

Qual é a melhor opção? Depende do ambiente. Existem superfícies e ambientes que acabam dificultando a operação de uma desinfecção física, tornando a química a melhor, se não, a única viável. Portanto, alguns fatores devem ser levados em consideração ao se utilizar desinfetantes químicos, como:

  • A superfície a ser higienizada: se for lisa e não porosa, o processo será mais fácil e rápido. Superfícies com articulações e permeáveis tendem a ser mais difíceis de desinfetar. Nessas situações, o desinfetante precisa ser deixado por mais tempo na área.
  • A quantidade de micro-organismos e sua resistência: normalmente, quanto maior o nível de germes presentes, maior deve ser o tempo de contato com o desinfetante. A limpeza do local antes de usar o germicida também é de extrema importância, pois ajuda a reduzir o número de agentes contaminantes. Já a resistência influencia até mesmo na classificação do desinfetante, bem como no seu tempo de ação.

A desinfecção é muito importante nos ambientes comerciais.

 

Ela garante a saúde e segurança de seus clientes e equipe.

 

Fazer a desinfecção corretamente mantém o ambiente limpo e as pessoas livres de infecções.

 Por que desinfetar?

Desinfetar é o ato de eliminar os germes de certo local ou objeto e é importantíssimo em ambientes comerciais. Os germes são micro-organismos como bactérias, vírus, protozoários e fungos, e alguns, podem apresentar riscos à saúde.

Por esse motivo, locais como cozinhas industriais, halls, salas de espera, quartos de hotel e demais lugares que tenham circulação e permanência de pessoas devem passar por desinfecção regularmente.

 

Tipos de desinfecção

 Existem diversos meios de se realizar um processo de desinfecção. Algumas delas são:

»Desinfecção química – faz uso de produtos químicos para eliminar os germes;

»Térmica – por calor, gerando grande aumento da temperatura para matar os germes, como em máquinas lava-louça;

»Radiação – utilizada geralmente em hospitais e laboratórios com emissão de raios ultravioleta, por exemplo; 

A desinfecção química é a mais utilizada hoje nos ambientes comerciais, seja para ser aplicada á ambientes ou objetos. Esse tipo de desinfecção é a mais utilizada, pois é a que melhor se encaixa nas necessidades das empresas, devido ao seu baixo custo e facilidade de aplicação.

A desinfecção química deve sempre ser realizada em etapas e sua eficácia depende de alguns fatores importantes.

Classificação dos desinfetantes conforme sua indicação

»Desinfetantes – Produtos químicos que eliminam microrganismos patogênicos, mas não suas formas inativas como esporos¹. São utilizados em objetos e superfícies.

»Germicidas – Produtos químicos que eliminam todas as formas de vida dos microrganismos causadores de doença, inclusive esporos.

»Bactericidas – Substâncias que eliminam bactérias, mas não necessariamente seus esporos.

»Fungicidas e viricidas – Substâncias químicas que matam vírus e fungos.

»Anti-sépticos – Produtos que eliminam ou inibem a proliferação de microrganismos. Estes produtos podem ser utilizados também na pele, para desinfecção de mãos, por exemplo.

»Sanitizantes – Produtos que reduzem a quantidade de microrganismos presentes no ambiente ou objeto a uma quantidade segura.

Dentro dessas classificações, se encaixam diversos produtos que encontramos no mercado. Geralmente, esses produtos têm em sua composição algum “ingrediente”, ou princípio ativo, como em um antibiótico, que será responsável pela eliminação dos germes, como mostraremos em seguida.

 

Desinfecção: O que saber e que produtos utilizar

 Na tabela abaixo você encontra os 6 fatores indispensáveis para ter sucesso no seu processo de desinfecção:

Quanto ao pH você não precisa se preocupar. Quando o fabricante faz as indicações de onde utilizar o produto, ele já fez testes e verificou que o desinfetante é adequado para aquele ambiente.

 

Quer uma ajudinha extra nas suas desinfecções ? Faça o download da Rotina de desinfecção e mantenha a descontaminação sempre em dia. Você pode imprimir este roteiro e mantê-lo próximo para ser consultado sempre que necessário.

 A desinfecção química deve utilizar produtos específicos. Em geral, pela sua ação, são chamados desinfetantes.

desinfecção     

Um desinfetante deve destruir diversos tipos de microrganismos possíveis causadores de doenças. Atualmente no mercado encontramos diversas categorias de produtos que dizem combater germes e bactérias, você sabe pra que cada um deles serve? Mostramos a seguir algumas classificações.

 

Princípios ativos mais comuns nos desinfetantes

» Álcoois: Os álcoois utilizados para desinfecção são o álcool etílico (etanol) 70% e álcool isopropílico. Ambos são eficazes contra bactérias, fungos e vírus, mas não contra esporos. Pode ser aplicado na desinfecção de objetos e também da pele.

desinfecção

» Compostos clorados: Os produtos químicos clorados geralmente são muito efetivos contra esporos, fungos, bacteriófagos e determinados tipos de vírus.

Porém, estes compostos tem pouca ação em presença de matéria orgânica, ou seja, é necessária uma boa limpeza prévia antes de sua aplicação para desinfecção. Sua ação não é anulada na presença de água dura. Os compostos clorados são os mais utilizados na desinfecção geral na forma de hipoclorito de sódio (água sanitária).

» Compostos com quaternário de amônio (CQA): Excelentes bactericidas. Estes compostos permanecem estáveis mesmo com alterações de temperatura, quando utilizado na indústria alimentícia, por exemplo. Não é necessário fazer o enxágue de superfícies que não entram em contato com alimentos.

São pouco efetivos contra esporos bacterianos e vírus. São instáveis na presença de água dura e matéria orgânica. Isso significa que não atuam de forma desejada na presença dessas substâncias.

Podem ser utilizados em uma ampla gama de ambientes e objetos na indústria alimentícia, restaurantes, hotéis, refeitórios, clínicas, entre outros.

desinfecção

» Iodóforos: São compostos que apresentam Iodo + tenso-ativo (Um tenso-ativo muito conhecido no dia a dia é o detergente comum de louças). O iodo é pouco solúvel em água, e a combinação com o tenso-ativo o torna solúvel.

São compostos altamente germicidas, eliminam leveduras, bactérias e vírus. A sua utilização não é recomendada em ambientes ou equipamentos com temperatura superior a 50° C. Isso se dá pela sua característica de fácil volatilidade (capacidade de virar vapor), fazendo com que perca sua capacidade germicida.

Sua ação não é alterada por águas duras, e possuem pouca ação contra fungos e esporos. Estes compostos geralmente são utilizados em indústrias que possuem frigoríficos e abatedouros (desinfecção de tanques, câmaras, depósitos e equipamentos), aviários, pecuária (instalações, instrumentos e equipamentos).

» Ácido peracético: Tem ação muito eficiente contra bactérias, fungos, esporos e vírus. Este produto age em baixas temperaturas e não é afetado pela dureza da água. Muito utilizado nos ambientes odontológicos e hospitalares, porém também utilizado na indústria alimentícia, de álcool, têxtil, entre outras.

Desinfecção segura e eficiente     

Quando conhecemos a nossa necessidade de limpeza podemos escolher o produto corretamente com base nessas classificações.

Mas é claro que não devemos esquecer que a desinfecção de ambientes e objetos deve sempre ser realizada em etapas. A eficácia do processo depende dos fatores que já discutimos anteriormente, e que são muito importantes como: limpeza prévia, dureza da água, concentração do desinfetante, tempo de exposição, temperatura e pH.

Além desses diversos fatores, para que a desinfecção apresente elevada eficácia é muito importante que se tenha um controle da frequência do processo. 

A sua rotina de desinfecção está em dia? 

Podemos te ajudar?

Sanitização de ambientes

Tudo que você precisa saber sobre sanitização de ambientes

Mesmo após uma boa faxina, o ambiente ainda pode conter fungos, bactérias e ácaros. O problema se agrava em locais com grande circulação de pessoas. Por isso, você precisa recorrer aos serviços de sanitização, que eliminam microrganismos nocivos e previnem a proliferação de doenças. A seguir, saiba tudo sobre esse tipo de procedimento.

O que é a sanitização de ambientes?

Trata-se de um trabalho que combate agentes patogênicos como bactériasácaros e fungos. Artigos de limpeza comuns, como vassouras e detergentes, não são eficazes para eliminar essas ameaças invisíveis, então é preciso recorrer a equipamentos especiais.

Para que serve a sanitização de ambientes?

Em linhas gerais, para garantir benefícios à saúde das pessoas, proporcionando leveza e bem-estar aos recintos. O acúmulo de bactérias, vírus e outros microrganismos impede que se que viva uma rotina plenamente saudável. Logo, a sanitização ajuda a frear a disseminação de doenças respiratórias, como rinites e resfriados.

Ainda, esse procedimento contribui na conservação de alimentos e objetos. Sem mofo ou bactérias para deteriorar os materiais, mantém-se a vida útil dos produtos por mais tempo.

 

Como a sanitização é feita?

A substância sanitizante é aplicada por uma equipe de especialistas. A única exigência é o isolamento do local pelo período em que durar o serviço. Os profissionais usam aparelhos de alta tecnologia e equipamentos de proteção individual adequados.

A ação química do produto forma uma película protetora nas paredes do ambiente, que ficam protegidas contra a proliferação de microrganismos. O tempo de aplicação depende diretamente do tamanho do espaço a ser sanitizado.

Poucas horas após o procedimento, pessoas e animais já podem retornar à área. O produto sanitizante é livre de riscos, pois não é inflamável nem corrosivo.

Quais estabelecimentos devem recorrer ao procedimento?

Qualquer residência ou estabelecimento comercial pode recorrer à sanitização de ambientes. Recomenda-se esse trabalho, especialmente, para endereços com grande circulação de pessoas.

A combinação de umidade, suor e temperaturas mais altas é comum em salas fechadas. Essa é a receita ideal para que colônias de bactérias aumentem. Boates e academias, por exemplo, devem recorrer à sanitização periodicamente, como já comentamos neste blog.

No caso de fábricas, devido ao elevado número de colaboradores em atividade, há de se considerar o risco de contaminação da produção. Dependendo do segmento – caso da indústria alimentícia, entre outras –, pode haver consequências para a saúde pública.

Falando nisso, clínicas, consultórios e hospitais também merecem atenção especial. Os pacientes carregam vírus e bactérias da rua. Portanto, a qualidade da limpeza é a chave para a prevenção e o combate a infecções.

Por fim, ainda podemos citar a necessidade da sanitização em escritórios, lojas, hotéis, pousadas, motéis e até mesmo veículos de passageiros. Já em se tratando de propriedades na zona rural, o serviço é importante para preservar a saúde tanto de pessoas quanto de animais.

É preciso renovar o serviço?

Sim. Recomenda-se que o serviço de sanitização de ambientes seja realizado a cada três meses. Essa medida garante a máxima eficácia do produto sanitizante.

Existe outra maneira de purificar o ar?

Existe. Além da sanitização tradicional, você pode realizar a aplicação do ozonizador. O aparelho desinfeta o ar, eliminando mofo, ácaros, bactérias e uma série de outros microrganismos. O equipamento é portátil, tem baixíssimo consumo de energia e não possui contraindicação para pessoas alérgicas, já que não utiliza químicos. É uma alternativa para remover odores ruins do ambiente, como cheiro de cigarro.

O que mais pode ser feito pela limpeza do ambiente?

É importante assegurar a correta higienização de cortinas, sofás e camas. Aliás, o acúmulo de ácaros num travesseiro pode ser a razão para espirros, coceira e até falta de ar. Esses pequenos aracnídeos comprometem bastante a qualidade do sono de um hóspede.

Sendo assim, recomendamos a sanitização de estofados. O procedimento é feito com um aparelho projetado para a limpeza profunda de camas, colchões, tapetes, sofás, cadeiras, berços, travesseiros, almofadas, cortinas, lençóis e outros tipos de tecidos. A renovação do serviço deve ser feita a cada quatro meses.

Quer experimentar o serviço antes de decidir se vai comprar? Clique na imagem abaixo e agende sua demonstração gratuita de Sanitização de Colchão, Tapetes e Estofados.

Quem realiza a sanitização de ambientes?

Sanemix conta com equipes treinadas e capacitadas para realizar o procedimento. A empresa, que tem mais de 30 anos de experiência no controle de pragas urbanas, oferece os seguintes serviços: sanitização de ambientessanitização de colchões, tapetes e estofados (com demonstração gratuita).